Notícias do Vale do Paranhana.

O vereador Guto Scherer (MDB) protocolou nesta semana um pedido (Indicação 922/2019) para que o Poder Executivo estude a adesão do município de Igrejinha ao Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, lançado em conjunto entre o Ministério da Educação e o Ministério da Defesa.

— Entendemos que todos os programas, estaduais ou nacionais, que possam beneficiar nossa comunidade, devem ser analisados e verificada a possibilidade de nossa participação. Entendemos que esse projeto é uma importante oportunidade de melhoria no processo de ensino-aprendizagem da rede municipal de Educação de Igrejinha — analisa Scherer.

A indicação prevê que sejam cumpridas as etapas do cronograma do Programa, que preveem consulta pública à comunidade escolar e posterior acordo de cooperação estabelecendo a contrapartida do Município.

— Além de reforçar a transmissão de valores humanos, éticos e morais aos alunos, preparando-os de forma mais efetiva para o mercado de trabalho, o objetivo com a adesão é reduzir índices de reprovação, violência e evasão escolar — justifica o parlamentar.

O MODELO

Lançado em setembro, o modelo das escolas cívico-militares é de adesão voluntária. Estados e municípios devem aplicar uma consulta pública para a comunidade sobre a adesão ao programa.

Pela proposta, militares da reserva atuarão tanto na área administrativa como nas áreas pedagógica e educacional, onde serão responsáveis por fortalecer “valores humanos, éticos e morais”, além de “promover a sensação de pertencimento no ambiente escolar”. Em julho, ao anunciar o programa, o MEC previu que 108 escolas militares aderissem até 2023.

O número dobrou no lançamento do programa, no início de setembro, passando para 216 unidades. Só em 2020, serão gastos R$ 54 milhões para implementação do projeto – cada escola receberá R$ 1 milhão para melhorias e adequações em infraestrutura.