Notícias do Vale do Paranhana.

A pandemia do novo coronavírus trouxe a necessidade de distanciamento social e a proibição de aglomerações como medidas preventivas ao contágio da doença, afetando vários setores que agora buscam se reinventar. Perante as medidas para evitar a contaminação do Covid-19, as apresentações culturais tiveram que se adaptar às apresentações virtuais.

É o caso do dj e promotor de eventos, Leandro Correia Borges, 35 anos. Sem as festas semanais, Festinally encontra formas de se manter durante este período.

— Estamos sem uma estimativa, sem uma data de retorno, está tudo muito incerto. Todos que trabalham com eventos tem esta dificuldade, não só os músicos. É uma rede de pessoas sem trabalho neste período — destaca.

Buscando uma alternativa para enfrentar a crise, ele fez uma parceria com outro DJ, Sidnei Luza, 32 anos. A ideia é empreender ajudando os artistas locais a realizarem transmissão ao vivo de shows sem sair de casa.

— Enxergamos neste setor uma oportunidade de investir no ramo desta tecnologia. Podemos ajudar outras pessoas com recursos que possibilitem a transmissão de shows online — afirmam.

Na última semana, a Câmara de Vereadores aprovou por unanimidade a Moção de Apoio aos músicos, profissionais de apoio, carregadores de bandas e artistas, e motoristas. O texto foi apresentado em Plenário pelos vereadores que compõe a bancada do Republicanos, Gilberto Gomes, Antônio Carlos dos Santos e Henrique dos Santos.

— Solicitamos que o Governo do Estado abra uma linha de crédito especial para atender a demanda destes profissionais que somam mais de 20 mil pessoas do setor artístico, que deve ser uma das últimas atividades a retornar em decorrência da pandemia — comentou Gomes durante a votação.