Notícias do Vale do Paranhana.

O consumo de ovos, considerado uma das mais acessíveis e versáteis proteínas disponíveis no mercado, vem aumentando de forma considerável nos últimos anos no país. Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) em 2018, cada brasileiro consumiu em média 212 ovos durante o ano, 20 a mais do que em 2017.

Os motivos foram as pesquisas que derrubaram a imagem do ovo como alimento prejudicial à saúde. A principal delas foi realizada durante nove anos por cientistas das Universidades de Pequim (China) e Oxford (Reino Unido) com um grupo de 416 mil pessoas. A pesquisa comprovou que as pessoas que comem um ovo por dia reduzem de forma significativa os riscos de doenças cardiovasculares.

O consumo de ovos é fundamental na dieta, pois são fontes de vitamina A, E, vitaminas do complexo B, cálcio, ferro e zinco. A proteína do ovo é mais biodisponível para o nosso organismo, ou seja, é a que tem melhor perfil de absorção, além de ser considerada a mais econômica fonte de proteína animal.

O Serviço de Inspeção Municipal de Rolante (SIM/Rolante), que é vinculado à Secretaria Municipal da Agricultura, realiza a inspeção de produtos de origem animal e vem através deste artigo esclarecer aos consumidores que não há diferença nutricional entre ovos de casca branca e os de casca vermelha, menos ainda pode-se dizer que os ovos vermelhos são caipiras ou coloniais.

A cor da casca do ovo está relacionada apenas com a genética da raça da ave. A cor da gema deve-se aos pigmentos naturais como xantofila e caroteno dissolvidos na gordura e que são provenientes da alimentação do animal, não tendo nenhuma relação significativa com a quantidade de nutrientes, sendo assim os ovos considerados de granja, caipiras e os orgânicos são iguais em termos nutritivos.

DIFERENÇA ENTRE OS OVOS

A diferença entre as denominações ovos de granja, ovos caipiras ou coloniais e os ovos orgânicos está relacionada somente à forma de criação dos animais, sendo da seguinte forma.

Ovos de granja: os animais são criados em sistemas industriais, onde as galinhas ficam confinadas em gaiolas.

Ovos caipiras ou coloniais: os animais devem ser criados fora de gaiolas, podendo estar livres para expressarem o seu comportamento normal, sendo que a criação deve respeitar as legislações determinadas pelo Ministério da Agricultura, que caracterizam esse tipo de criação.

Ovos orgânicos: os animais devem receber uma alimentação livre de agrotóxicos e fertilizantes químicos, não sendo também permitida a utilização de fármacos para o tratamento de enfermidades. Além disso, as galinhas são criadas em condições que prezam seu Bem Estar e seu Comportamento Natural, sendo que a criação deve respeitar as legislações determinadas pelo Ministério da Agricultura, que caracterizam esse tipo de criação.

ATENÇÃO NA COMPRA

No momento da compra o consumidor deve estar atento se certificando que o produto possua informações de origem (nome da granja e produtor rural), carimbo de inspeção e esteja no prazo de validade. Essas informações são encontradas nas embalagens (caixa de ovos). Também devem ser verificadas as condições do produto, se está íntegro (sem rachaduras na casca) e limpo.

Cabe um alerta aos consumidores sobre a importância do consumo de produtos de origem animal com inspeção. Esses produtos devem passar pela fiscalização dos serviços oficiais, sendo eles o Serviço de Inspeção Federal (SIF), Serviço de Inspeção Estadual (Cispoa) e o Serviço de Inspeção Municipal (SIM).

Os médicos veterinários Rafael Duarte e Lucia Castagnino, profissionais ligados ao Serviço de Inspeção Municipal de Rolante, enfatizam que alimentos de origem animal sem fiscalização podem transmitir doenças e causar danos irreparáveis à saúde do consumidor, quando não forem atendidas condições apropriadas para produção e comercialização.