Notícias do Vale do Paranhana.

A Região Taquara – que no mapa do distanciamento controlado ainda inclui Igrejinha, Parobé, Riozinho, Rolante, São Francisco de Paula, Três Coroas e Cambará do Sul – comemora a permanência na bandeira laranja nesta 18ª rodada, mas já vê com cautela o retorno das aulas presenciais nas escolas destes municípios.

O governo estadual autorizou o retorno gradual das atividades escolares de forma presencial a partir desta terça-feira, dia 8, a começar pelas turmas da Educação Infantil. A decisão final, porém, é dos Executivos municipais.

Conforme o prefeito Tito Lívio Jaeger Filho disse ao jornal NH, uma discussão conjunta após um levantamento definirá os rumos do ensino presencial para a região do Paranhana.

“Decidimos em conjunto com os demais prefeitos da região de que a Educação Infantil não voltará em setembro. A partir do dia 15, faremos uma pesquisa nas escolas municipais com pais e profissionais e somente depois de compilados os resultados é que tomaremos qualquer decisão de retorno. Essa mesma pesquisa será realizada no mês seguinte com os pais e profissionais do fundamental”, informou o prefeito de uma das maiores cidades da Região 6.

Titinho também falou sobre a rede privada de ensino.

“Quanto às escolas particulares, Infantil, Fundamental, Médio e Universitário havendo o preenchimento integral dos protocolos dispostos pelo Estado não haverá objeção de funcionamento”, disse.

“Estabilidade nos índices”

O prefeito Tito ainda comentou a permanência da região na bandeira laranja após o Estado acatar o recurso apresentado frente à preliminar classificação em bandeira vermelha. A região já seguia o modelo de cogestão.

“A permanência em bandeira laranja é importante, pois traduz a estabilidade nos índices que tínhamos trabalhado com ainda mais intensidade quando migramos para a vermelha. Na prática, pouco muda, pois enquanto vermelha nós já havíamos, através de estudo técnico científico, demonstrado ao Estado algumas incongruências e já adotado regras da bandeira anterior (laranja) para o comércio e prestadores de serviços, como restaurantes e lancherias”, informou o prefeito do Paranhana.

*Com informações do jornal NH