Notícias do Vale do Paranhana.

A falta de chuva está causando prejuízos para os agricultores de Riozinho. A Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente contabiliza perda de 60% na safra de feijão, apesar de a maior parte da área plantada já ter sido colhida.

— A safra de milho recém começou a ser colhida e se estima que as perdas cheguem a 40%. A colheita da uva também foi prejudicada pela estiagem em uma parte das propriedades, sendo estimadas perdas de até 30%, com perda de qualidade — diz o secretário Sérgio Koch, que elaborou um estudo sobre os prejuízos no campo com o apoio do escritório local da Emater.

Outra preocupação do município é com a produção de verduras, produtos que são comercializados por pequenos agricultores junto à Ceasa, em Porto Alegre. A produção de repolho, brócolis e couve-flor teve principalmente a qualidade prejudicada, com perdas de até 15%.

— Isso impacta diretamente na vida das famílias de nossos produtores, uma vez que afeta a renda de quem vive no campo e aumenta o preço dos produtos na mesa do consumidor — destaca o prefeito Valério José Esquinatti.

A estação meteorológica automática, localizada no centro de Riozinho, registrou 76,6 milímetros de chuva nos últimos 30 dias.

— O normal para esse período seria quase o dobro disso, com cerca de 150 milímetros de precipitação. Infelizmente a falta de chuva tem impacto na vida de todos, mas essa situação preocupa justamente nossos colonos, que são quem dependem diretamente da terra — lembrou o vice-prefeito Diogo Pretto.