Notícias do Vale do Paranhana.

O prefeito de Rolante, Régis Zimmer, afirmou neste domingo (28) que “não houve registro de aglomeração” no concurso de cavalos Freio de Ouro, realizado no município. As provas se iniciaram na sexta-feira (26) e deveriam seguir até este domingo (28), mas foram encerradas no sábado (27) após pressão da comunidade.

Rolante está sob bandeira amarela e, segundo o decreto de distanciamento controlado do Estado, não poderia realizar eventos esportivos. A prefeitura informou que entre 70 e 100 pessoas participaram da competição.

Por volta das 13h de sábado, a promotora Ximena Cardozo Ferreira, do Ministério Público de Taquara, expediu um ofício com uma recomendação ao Executivo de Rolante para que verificasse “informações sobre a existência de aglomeração irregular” no evento. Zimmer disse que respondeu ao MP que não havia nenhuma irregularidade.

— A fiscalização da prefeitura esteve na sexta-feira e no sábado de manhã no local, quando houve a manifestação do Ministério Público, e não registrou nenhuma aglomeração — disse.

Segundo Zimmer, apenas as equipes e a organização participaram do evento, sem a presença de público. O prefeito reconhece que houve pressão da comunidade e comentários sobre aglomerações. Em razão disso, a organização decidiu adiantar o encerramento do evento.

— Teve toda essa manifestação da comunidade e a própria organização reviu a ordem das provas e adiantou justamente para amenizar esse impacto, mesmo que estivessem seguindo os protocolos. Tem viés político, estamos em um momento de início de campanha e processo eleitoral — declarou.

Apesar da restrição imposta pela bandeira amarela, a realização da classificação do Freio de Ouro recebeu aval da prefeitura de Rolante e da própria Secretaria de Agricultura do Estado – desde que a realização do evento fosse sem público.

Por meio da assessoria de imprensa, o Ministério Público informou que vai adotar possíveis providências a respeito da realização do evento nesta segunda-feira (19).

*Com informações de GaúchaZH