Notícias do Vale do Paranhana.

Uma operação deflagrada na manhã desta terça-feira (19), pela Polícia Civil, combate os crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa praticados por um grupo que atua na exploração de jogos de azar há mais de 60 anos em Taquara, no Vale do Sinos e Litoral Norte.

A ofensiva, chamada de Cruz de Malta, deverá cumprir hoje 20 mandados de busca e apreensão em Taquara — em um bar na rua Bento Gonçalves, no Centro do município —, Canoas e Tramandaí. Vinte e cinco medidas constritivas de sequestro/indisponibilidade de bens imóveis também devem ser cumpridas.

Os bens da organização criminosa estão avaliados em mais de R$ 6 milhões. Uma mulher foi presa em flagrante em Taquara por posse ilegal de munição de uso restrito. Foram apreendidos um revólver marca Rossi calibre .38, seis munições calibre .38 e documentos (foto abaixo). Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

De acordo com o delegado Marcus Vinicius da Silva Viafore, a operação é fruto de uma investigação que se estendeu por mais de seis meses. A polícia identificou diversos integrantes da organização criminosa. A maior parte dos investigados ostentava poder aquisitivo e bens de luxo, incompatível com os rendimentos declarados.

EMPRESA DE FACHADA E LUXO

Foram identificadas contas bancárias no nome de 15 pessoas e em bancos diferentes. O grupo, inclusive, montou uma empresa de fachada na área de marketing para facilitar o desvio de dinheiro adquirido ilegalmente. Em relação aos bens, foram sequestrados judicialmente 13 automóveis, alguns de luxo e avaliados em R$ 695 mil, dois jet-skis avaliados em R$ 105 mil e dez imóveis, no valor total de R$ 5,8 milhões.