Notícias do Vale do Paranhana.

Os primeiros dias de restrição à circulação de pessoas e isolamento social, em decorrência do Coronavírus, já atingem o equilíbrio financeiro das empresas e ameaça a sobrevivência de milhões de pequenos negócios no Rio Grande do Sul.

Segundo pesquisa feita pelo Sebrae, 91% das micro e pequenas empresas gaúchas já sentem uma queda no seu faturamento. O número é maior do que no restante do país, quando 89% das empresas tiveram essa redução. E 33% dos empreendedores gaúchos afirmam que precisarão fechar o negócio permanentemente, em um mês, caso as restrições adotadas até agora permaneçam por mais tempo.

A pesquisa foi feita entre os dias 20 e 23 de março, junto a um universo de 9.105 donos de pequenos negócios no Brasil e 511 empresários no Rio Grande do Sul. Os empresários ouvidos pelo Sebrae ressaltam que, mesmo adotando uma estratégia de venda online, a redução no volume de vendas dessa última semana em relação a uma semana normal chega a 69,7%

Com a expressiva queda nas vendas, 48% dos empreendedores gaúchos já preveem que precisarão solicitar empréstimos para manter o negócio em funcionamento sem gerar demissões. No Brasil, as medidas de restrição ao deslocamento de pessoas já fizeram com que 42% dos empresários tomassem a decisão de fechar temporariamente o negócio e levou 26% a reduzir a jornada de trabalho da empresa.

Para o presidente do Sebrae, Carlos Melles, a pesquisa confirma a importância e a urgência de medidas de socorro aos pequenos negócios.

— As pequenas empresas representam 99% de todos os empreendimentos do país e geram mais da metade dos empregos formais. A situação provocada pela pandemia exige de todos os agentes públicos o compromisso pela busca de soluções concretas e rápidas para os problemas que essas empresas estão enfrentando no dia a dia da crise — destaca Melles.

O presidente do Sebrae ressalta que a instituição está atuando junto às diferentes instâncias de governo, ao Congresso e ao Judiciário para o desenvolvimento dessas soluções.

— O Sebrae está, neste momento, ao lado dos empresários e disponibilizando todo o apoio por meio das diferentes plataformas de atendimento — destaca.

PRINCIPAIS NÚMEROS DA PESQUISA NO RS

Como o seu negócio está sendo afetado, até este momento, pelo Coronavírus em termos de faturamento mensal?

2% aumentou
4% permanece igual
91% diminuiu
4% ainda não sabe responder

Quanto foi a perda em termos de faturamento mensal até este momento?

1% das empresas tiveram perda de 6 a 10%
4% das empresas tiveram perdas de 11 a 20%
8% das empresas tiveram perda de 21 a 30%
10% das empresas tiveram perda entre 31 a 40%
14% das empresas tiveram perda de 41 a 50%
58% das empresas tiveram perdas superiores a 50%
e apenas 4% não souberam responder

Por quanto tempo o(a) Sr.(a) acredita que possa manter seu negócio, sem fechá-lo permanentemente, com as restrições de movimentação de pessoas adotadas até agora?

33% até 1 mês
32% de 2 a 3 meses
8% de 3 a 4 meses
5% de 5 a 6 meses
4% mais de 6 meses
17% não sabe responder

Qual foi a variação percentual do volume de vendas dessa última semana em relação a uma semana normal?

69,7% reduziu
18,8% aumentou

Você precisa(rá) pedir empréstimos para manter seu negócio/empresa em funcionamento sem gerar demissões?

48% sim
13,5 % não
38,6% não sabe

Quais os itens de custo que mais pesam no seu negócio, no dia a dia

42% custos com matéria-prima
44% custos com pessoal
41% custos com aluguel
41% custos com impostos
34% custos com empréstimos

Por conta do Coronavírus, o que está acontecendo com o seu negócio, em termos de custos com matérias-primas:

29% aumentou
16% diminuiu
40% permaneceu igual
15% não sabe

Por conta do Coronavírus, o que está acontecendo com o seu negócio, em termos de custos com pessoal:

14% aumentou
6% diminuiu
68% permaneceu igual
12% não sabe

Por conta do Coronavírus, o que está acontecendo com o seu negócio, em termos de custos com aluguel

5% aumentou
1% diminuiu
82% permaneceu igual
12% não sabe