Notícias do Vale do Paranhana.

“A pesquisa é essencial para todas as áreas. Ela não pode ser algo individual ou particular. Deve ser solidária e transformar o mundo para uma vida melhor para as pessoas”, salienta o diretor-geral da Faccat, Delmar Backes, durante a abertura oficial (foto) da XVIII Mostra de Iniciação Científica e o X Salão de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação, que ocorreu na noite de segunda-feira (5).

O evento segue até o dia 9, com a apresentação de mais de 130 trabalhos inscritos de diversas cidades e instituições de ensino superior da região. Devido à nova realidade por causa do Coronavírus, os relatos estão sendo feitos via Google Meet. Os links de acesso às salas variam de acordo com a temática. A realização é da Vice-Direção de Pós-Graduação e Pesquisa da Faculdades Integradas de Taquara (Faccat).

Trocas de ideias

Na avaliação do diretor-geral, Delmar Backes, o evento científico já se tornou tradição na Faccat e nestes últimos meses, com a pandemia, muitas pessoas começaram a dar importância para as pesquisas, principalmente na área da saúde.

— A Mostra tem o objetivo de incentivar e dar importância à pesquisa científica. Todos nós somos capazes de fazer. Espero que durante a Mostra Científica possa haver trocas de ideias frutíferas — projeta Backes.

Pesquisas responsáveis

Já na opinião do presidente da Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste (FEEIN), Nicolau Rodrigues da Silveira, a pesquisa está sendo, mais do que nunca, muito importante. Ele frisa que nunca foi tão grande os desafios no campo das pesquisas.

— As pesquisas, além de trazer novas inovações, novas informações, cria na mente dos pesquisadores aquele espírito desbravador capaz de diante de qualquer desafio, construir soluções, saídas inteligentes baseadas em pesquisas responsáveis — ressalta.

Versões on-line

O vice-diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da Faccat, Roberto Tadeu Ramos Morais, também destaca que a XVIII Mostra de Iniciação Científica e o X Salão de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação são grandes oportunidades para a troca de conhecimento.

— É preciso aprimorar cada vez mais a Iniciação Científica — comenta, observando ainda que para a edição de 2020 foi preciso se reinventar, adaptando os eventos para o modelo on-line.