Notícias do Vale do Paranhana.

O aproveitamento de resíduos sólidos de obras e a reação a problemas causados por chuvas, enchentes e outras adversidades climáticas são os dois principais temas enfrentados pelo Projeto de Lei do Legislativo (PLL) aprovado por unanimidade na Câmara de Vereadores nesta semana.

O PLL apresentado pelos vereadores do PSB Dirceu Linden Júnior, Juliano Müller e Gilmar Pereira da Silva prevê a criação de um banco municipal de materiais de construção, nos mesmos moldes dos bancos de alimentos popularizados pelo país. Dessa forma, ele armazenará sobras de obras concluídas na cidade, como tijolos, areia, madeira e outros. Posteriormente, esses materiais serão disponibilizados a famílias em situação de necessidade em virtude de sinistros, desde que estas famílias passem por avaliação conduzida por assistente social.

— Historicamente nossa população sofre com enchentes, deslizamentos e outros problemas relativamente previsíveis mas inevitáveis. Então, através do banco, será estabelecida uma reação sistematizada, padronizada e ágil para minimizar os impactos, auxiliando as famílias no restauro de seus lares. Esta é uma iniciativa popular que chegou ao colega Dirceu, foi estruturada com participação dos demais proponentes e, assim que operacionalizada, fará verdadeira diferença em momentos de emergência e preocupação coletivas — comentou o vereador Juliano, como líder da bancada.

Aprovado, agora o PLL parte para sanção do Executivo. Na sequência, caberá ao município criar um sistema de armazenamento e distribuição dos materiais arrecadados, que terá a Defesa Civil como principal gestor.