Notícias do Vale do Paranhana.

O Centro de Defesa e Proteção Social Lar Padilha está em meio a uma crise financeira que pode resultar no fechamento de suas portas.

O local, que atende crianças de zero a 12 anos de idade – jovens maiores de idade vindos do Lar Padilha em regime de acolhimento –, viu os recursos diminuírem com a redução de internos (que são abrigados a partir de convênios com prefeituras) na casa em 2018, o que acabou gerando uma dívida de R$ 350 mil.

Em dezembro, o Lar abrigava 59 crianças nas duas unidades, tanto em Padilha como no Centro.

— Essa é a principal dificuldade que enfrentamos: como diminuiu o número de crianças, consequentemente diminuiu a receita. Hoje, portanto, nosso trabalho é de equalização, equilibrando despesas e receitas — explica o psicólogo e coordenador do Centro, Alessandro Lauck.

Como consequência, o Centro já reduziu quase pela metade o número de colaboradores.

— Eram 19, hoje são 11 — revela.

Segundo o coordenador do Centro, Alessandro Lauck, número de funcionários foi reduzido de 19 para 11 (Foto: André Amaral/TCA)

Segundo Lauck, outra solução encontrada para aliviar o impacto mensal foi a redução do valor do aluguel. A partir de um acordo com o proprietário, a despesa foi reduzida de R$ 4,9 mil para R$ 4 mil. Também está em negociação a transferência de alguns serviços sociais da prefeitura de Taquara para a sede do Centro. Com isso, o Executivo assumiria parte das despesas operacionais.

Confira uma entrevista com Alessandro Lauck no link abaixo:


APOIO COMUNITÁRIO E FILANTRÓPICO

Alessandro Lauck destaca que a comunidade também costuma ajudar. Como é o caso da ação Burgão do Bem, que vai ocorrer neste domingo (17). Com a venda de um combo de hambúrguer, fritas e refrigerante, um grupo de voluntários espera reunir recursos para ajudar o centro ligado ao Lar Padilha.

O idealizador da iniciativa é o gerente de marketing digital Daniel Rosenthal Andrade, de 26 anos. Ele, que já havia se envolvido com causas sociais na adolescência, inspirou-se em retornar ao voluntariado ao conhecer o trabalho do Centro a partir de um contato profissional.

— Conheci o Lar por causa de um cliente. Uma loja de calçados que eu atendia em Parobé doou ovos de páscoa para a entidade, e foi então que conheci o trabalho lá desenvolvido. Fiquei com aquilo na cabeça e, quando surgiu a oportunidade de ajudar as crianças, decidi fazer algo — conta Andrade.

Andrade: idealizador do Burgão do Bem diz que trabalho é totalmente voluntário e filantrópico (Foto: arquivo pessoal)

O trabalho de divulgação da ação nas redes foi naturalmente adicionado ao cotidiano de Andrade.

— Eu trato como se fosse um cliente de mídias. Coloco na minha pauta diária os posts e mensagens. Assim, venho conseguindo manter tudo junto — explica.

Andrade destaca que o Burgão do Bem é totalmente voluntário e filantrópico, sendo realizado em parceria com a Invento Pra Comer (bistrô ligado à agência de publicidade Invento, em Taquara) e com o Restaurante da Dina, em Parobé.

— É só comprar o teu vale-burger e, no dia 17, buscar o lanche em um dos pontos de retirada a partir das 19h.

Andrade informa que também haverá tele-entrega.

— Basta chamar a gente no privado pelo Facebook ou Instagram e garantir o teu. O voluntário que estiver mais próximo irá efetuar a entrega — garante.

O Burgão nas redes sociais:

Facebook
Instagram

O BURGÃO

O búrguer tem bacon, cheddar, maionese, cebola caramelizada, tomate e rúcula. O valor é 25 reais.

PONTOS DE RETIRADA

Taquara

Invento Pra Comer
R. Venâncio Aires, 1689, bairro Nossa Sra. de Fátima

Parobé

Restaurante da Dina
Av. Taquara, 361 – Guarujá

O TRABALHO DO CENTRO

O Centro de Defesa e Proteção Social Lar Padilha, localizado na rua Marechal Floriano, atende crianças de zero a 12 anos de idade, que precisam de apoio para estruturarem suas vidas, e mulheres protegidas pela Lei Maria da Penha.

A mantenedora é a Associação Beneficente Evangélica da Floresta Imperial (Abefi). O Centro de Defesa e Proteção Social Lar Padilha também recebe apoio da Prefeitura de Taquara, que irá auxiliar com o repasse de valores para a manutenção.

(Foto: André Amaral/TCA)