Notícias do Vale do Paranhana.

Com a presença de lideranças empresariais e entidades da cadeia produtiva, os deputados estaduais Dalciso Oliveira (PSB) e Issur Koch (PP) lançaram nesta segunda-feira (15) duas frentes parlamentares destinadas à defesa e apoio ao setor coureiro-calçadista. Issur presidirá a Frente Parlamentar em Defesa do Setor Coureiro-Calçadista na Assembleia Legislativa.

Segundo escreveu em seu Twitter pela manhã, Dalciso quer combater a diminuição de vagas ofertadas e alavancar o setor.

“Está iniciando neste momento cerimônia de instalação da Frente Parlamentar de minha autoria, para tratar do setor coureiro-calçadista gaúcho – a redução dos empregos, a migração de empresas e a desindustrialização”, declarou.

Em seu pronunciamento, Issur (foto abaixo) destacou que a intenção é somar esforços pela geração de emprego e renda.

— Essa é a primeira vez que a Assembleia terá duas frentes destinadas a esse importante setor da economia gaúcha, mas que terão atuações distintas, sem deixar de complementarem-se entre si. Estamos colocando nossas vozes e nossos mandatos para diminuir a burocracia, para auxiliar nas esferas estadual e nacional a fim de que possamos retomar postos de trabalho e proporcionar o cenário ideal para quem empreende neste Estado — anunciou.

(Foto: divulgação)

Antes do pronunciamento do parlamentar, foi exibido um vídeo do senador Luís Carlos Heinze em manifestação ao trabalho que será desenvolvido pelo deputado Issur em parceria com seu gabinete em Brasília.

Na sequência, o presidente executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçado (Abicalçados), Heitor Klein, falou da importância das duas frentes atuarem em conjunto.

— A indústria de calçado tem papel preponderante na geração de emprego. Vivemos um momento delicado para a cadeia produtiva e contamos com um trabalho integrado para que o setor possa retirar entraves para seu desenvolvimento — declarou.

O presidente da Associação das Indústrias de Curtume do Rio Grande do Sul (AICSul), Moacir Berger de Souza, disse que as frentes têm muito a contribuir pelo setor.

— Os governos em todas as esferas precisam ver o empreendedor como um parceiro. Contamos com o trabalho das frentes para sensibilizarmos os governantes a adorem políticas públicas que criem um ambiente favorável aos negócios — finalizou.