Notícias do Vale do Paranhana.

Abordando a questão quilombola no Brasil, o Quilombo do Paredão Baixo – localizado no Distrito da Fazenda Fialho –, sua comunidade e políticas públicas estarão em pauta nesta terça-feira (4) no Foro Trabalhista de Taquara, às 19h30.

Com o objetivo de dar visibilidade a comunidade, divulgando e contribuindo para fortalecer a organização social da localidade, os servidores e magistrados da Justiça do Trabalho de Taquara promovem a exposição e debate sobre o documentário “A Voz do Quilombo“, produzido pelos estudantes do segundo ano do ensino médio da Escola Estadual Felipe Marx.

A ação vai contar a história da comunidade, suas riquezas culturais e abordará políticas públicas destinadas à comunidade para, com esse material, possam ser realizadas ações continuadas de valorização social de seus integrantes.

OS ESPECIALISTAS PRESENTES

Para debater as questões, foram convidados especialistas envolvidos diretamente com o tema:

Ivonete Carvalho – Ex-Secretária de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério dos Direitos Humanos;
Ubirajara Carvalho Toledo – Secretário Geral do IACOREQ e membro convidado da Comissão da Verdade Sobre a Escravidão Negra no RS da OAB;
Roberta Liana Vieira – Representante dos servidores negros no Comitê de Equidade, Gênero, Raça e Diversidade do TRT4 e membra do Coletivo dos Servidores Negros do TRT4;
Sandro Lemos – Liderança do Quilombo Lemos.
Karen Santos – Professora estadual, ativista do movimento negro e vereadora de Porto Alegre (PSOL/RS)

“VIVER EM PAZ É VIVER SEM MEDO”

A mostra faz parte da programação dos “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher“, dentro do macroevento “Viver em paz é viver sem medo”. A iniciativa é da Frente Parlamentar de Jovens pelo Fim da Violência contra a Mulher da Câmara Municipal de Vereadores de Taquara e da Prefeitura Municipal de Taquara.

A atividade conta com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Rio Grande do Sul (Sintrajufe). Já a exposição ficará aberta a visitação até o dia 14 de dezembro, no Foro da Justiça do Trabalho.