Notícias do Vale do Paranhana.

Criado no início de maio deste ano, o Núcleo de Apoio Empresarial da Faccat (NAE) já prestou atendimento para cerca de duas dezenas de empresas situadas nos seis municípios que compõem a região do Paranhana. O dado foi revelado pelo coordenador da iniciativa, Luiz Fernando Neves, acrescentando que os auxílios nas áreas financeira e de vendas têm sido os mais demandados pelas organizações que procuram o serviço.

O Núcleo de Apoio Empresarial foi instituído pela Faccat com a intenção de prestar ajuda gratuita a empresas que estejam passando por dificuldades em função da crise provocada pela pandemia de coronavírus. Conforme Fernando, até o começo desta semana, já haviam sido prestados em torno de 20 atendimentos, contemplando, especialmente, empreendimentos da área de serviços, mas também do comércio e da indústria.

Ele explicou que, de acordo com as demandas recebidas, a área financeira vem se mostrando uma das mais sensíveis no momento, com pedidos de assessoria, principalmente, na organização do fluxo de caixa e busca de recursos para honrar compromissos já assumidos.

— Nesse sentido, estamos auxiliando com orientações que ajudam a identificar linhas de crédito acessíveis, bem como em relação à forma de as empresas conduzirem o pagamento de tributos e outras obrigações para evitar problemas ainda mais graves lá na frente — comentou.

AUXÍLIO EM VENDAS

Outra demanda recorrente dirigida ao NAE refere-se à área de vendas, com ênfase à presença em mídias sociais, já que muitas empresas estão vendo a necessidade de apelarem para essa alternativa diante da diminuição dos negócios presenciais. A fim de sanar essa deficiência, além do auxílio caso a caso, foi elaborado um material de divulgação com dicas práticas para reforçar a presença digital da empresa e melhorar sua imagem online.

Por fim, auxílios na composição da planilha de custos e na revisão de cálculos de impostos também figuraram entre as principais demandas apresentadas ao Núcleo de Apoio, todas elas sempre atendidas por docentes da Faccat, especializados nas áreas competentes.

Além da atuação direta junto às empresas, Fernando Neves destaca a interação com o setor público, especialmente câmaras de vereadores, e entidades representativas da região, que procuraram o serviço de forma espontânea em busca de informações e pelo interesse de auxiliar na divulgação.

— Isso demonstra a boa receptividade à proposta da Faccat e também o engajamento das partes envolvidos a fim de que o Paranhana possa superar o atual momento, que segue muito complicado, com fechamento de centenas de postos de trabalho, reduções salariais e outras medidas que afetam a economia como um todo — descreve o coordenador.

Segundo ele, o Núcleo de Apoio seguirá à disposição das empresas, pelo menos até que durarem os efeitos da pandemia, a fim de prestar toda ajuda possível na mitigação dos danos que vêm sendo sentidos pelo setor.