Notícias do Vale do Paranhana.

Na tarde de sexta-feira (18), o governador do RS, Eduardo Leite, esteve no Vale do Paranhana para tratar de agendas relacionadas a economia e ao turismo, juntamente com o deputado Dalciso Oliveira (PSB).

Acompanhados de suas comitivas, eles visitaram a sede da empresa Usaflex, em Igrejinha, e o Sindicato da Indústria de Calçados de Três Coroas para debater o cenário do setor coureiro-calçadista e, ao fim do dia, estiveram presentes na abertura oficial da 32° Oktoberfest.

Na Usaflex, foram recebidos pela equipe executiva da empresa. Assistiram a apresentação do CEO, Sérgio Bocayuva, e percorreram as instalações da fábrica de calçados para conhecer os setores administrativo e a produção. Dalciso considerou importantes as agendas de Leite com entidades do setor coureiro-calçadista, o que oportunizou ao governo uma aproximação com empresários e trabalhadores do ramo. Com boas expectativas, o sócio fundador da Usaflex, Juersi Lauck, estava lisonjeado com a visita.

— Esperamos que o trabalho deles em prol do setor calçadista frutifique — frisou.

Pautadas por Dalciso desde o primeiro dia de mandato, as dificuldades do setor coureiro-calçadista mais uma vez foram abordadas no Sindicato da Indústria de Calçados de Três Coroas, onde também estiveram presentes dezenas de representantes da classe. O presidente do sindicato, Joel Klippel, falou que o setor quer retomar o protagonismo de maior fabricante de calçados do país, lembrou que nos últimos 25 anos foram esquecidos pelo Estado e que a indústria calçadista é um setor imediatista na geração de emprego e renda.

— O enfraquecimento e esvaziamento da produção local se deve exclusivamente às políticas fiscais predatórias e desleais de todos os estados brasileiros, pois nossos calçados ficam de 8% a 10% mais caros — pontuou.

Dalciso ressaltou a importância do governador para entender a importância do setor calçadista na formalização da mão de obra local.

— Esta região já foi reconhecida como a maior produtora de calçados femininos do mundo e hoje estamos perdendo para nós mesmos. É só ir a Santa Catarina que a produção é ofertada 10% mais barata do que no RS — declarou referindo-se à falta de incentivos fiscais para o setor.

Trazendo ânimo ao setor, Eduardo Leite mencionou em ambas as visitas que tem excelentes expectativas para o futuro dos calçadistas. Disse que o governo está criando perspectivas para um ambiente de competitividade justo.

— Nossa agenda para o Estado coloca a competitividade no centro da ação. Criamos um programa chamado Receita 2030, de planejamento fiscal do Estado até 2030, com diversas ações, não apenas para reduzir alíquotas, mas para simplificar a relação do contribuinte com o fisco estadual. Queremos desburocratizar e reduzir impostos para criar um ambiente em que todos se sintam estimulados a investir — explicou o governador.

Leite ainda declarou ter convicção de que muito em breve haverão anúncios de estímulo para o setor calçadista no ponto de vista tributário.