Notícias do Vale do Paranhana.

Um grande plano de ação para a região das Hortênsias foi apresentado pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) em Gramado e Canela na quarta-feira (29/1). A explanação das iniciativas da empresa no sistema integrado reafirmou o compromisso do governo do Estado e da Corsan com a população das Hortênsias, por meio de ações como o apoio ao crescimento, a garantia do abastecimento e a universalização do esgotamento sanitário, atingindo padrões de excelência ambiental. Serão investidos R$ 240 milhões na região, sendo R$ 90 milhões em água e R$ 150 milhões em esgoto.

Na primeira apresentação, no auditório da prefeitura de Gramado, o diretor-presidente da Companhia, Roberto Barbuti, destacou que a empresa deve desculpas à comunidade pelos casos de desabastecimento e informou que a companhia montou uma força-tarefa a fim de revisar o plano de ação para a região. O presidente explicou o funcionamento do sistema de abastecimento integrado das Hortênsias, cuja água é captada em São Francisco de Paula, tratada em Canela e distribuída para Canela e Gramado. Informou que, em virtude de ações executadas desde 2018 nos dois municípios, houve acréscimos de 20% na produção média diária das duas Estações de Tratamento de Água (ETAs), 34% no volume aduzido para Gramado, 70% na reservação de Gramado e 40% na reservação de Canela.

Barbuti afirmou que as ações já executadas pela Corsan, embora significativas, não foram suficientes para atender as demandas de Canela e Gramado. Contribuíram para esse cenário, conforme o presidente, fatores como o crescimento da região (cujo percentual de economias faturadas nos últimos cinco anos subiu 14,5% em Canela e 35% em Gramado, em comparação com o índice geral da Corsan, de 8,5%), agravado pelas altas temperaturas do mês de dezembro.

Na sequência, o diretor de Operações, André Finamor, detalhou o plano de ação da companhia, dividido em três etapas. Com essas ações, a disponibilidade de água para o sistema integrado das Hortênsias terá um salto gradativo de 48% em dezembro/2020, 65% em dezembro/2021 e 77% em dezembro/2024, assim como a adução de água tratada para Gramado aumentará, nos mesmos prazos, em 75%, 100% e 150%, respectivamente.

Com investimento de R$ 33,5 milhões, a primeira etapa do planejamento prevê as seguintes ações, com conclusão em 2020: captação de água no aquífero Guarani, por meio de dois poços com vazão estimada de 100 l/s, gerando o aumento de produção de forma interligada; criação de um subsistema para a Várzea Grande (com um dos poços citados e um reservatório de 2 milhões de litros, o que vai ampliar a produção e dar maior segurança ao sistema); aumento de produção de água tratada na ETA II de Canela, com a instalação de três ETAs compactas, totalizando mais 90 l/s; e primeiro trecho da adutora de água bruta (2 km) até a ETA II de Canela, com cerca de 6,5 km de extensão total.

Para o esgotamento sanitário, a fim de elevar os índices de cobertura de esgoto (32% em Gramado e 16% em Canela), a Corsan está instalando as ETEs Ávila e Santa Terezinha e implantando redes coletoras e quatro ETEs compactas – o que deve elevar os índices de esgoto tratado para 55% em Gramado até 2023 e para 50% em Canela até 2022. Para universalizar o tratamento de esgoto, a companhia está projetando uma parceria público-privada (PPP), cujo leilão está previsto para o fim de 2020. Conforme Barbuti, a iniciativa segue a experiência da PPP do saneamento na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Na sequência, a diretoria da Corsan apresentou o plano de ação das Hortênsias na prefeitura de Canela, com a presença do prefeito, Constantino Orsolin, e de autoridades locais. Os diretores de Expansão, Julio Hofer, Financeiro e de Relações com Investidores, Jorge Melo, e de Inovação, Relacionamento e Sustentabilidade, Liliani Cafruni, bem como o assessor do gabinete do governador, Caio Tomazeli, acompanharam as agendas e contribuíram com as apresentações. Em ambas as agendas, os representantes da Corsan e do governo responderam perguntas da imprensa, de autoridades municipais e de moradores.

Texto: Douglas Carvalho/Ascom Corsan
Edição: Secom