Notícias do Vale do Paranhana.

Cerca de 800 pessoas acompanharam o desfecho do Cordas Vivas 2019 no Centro de Eventos da Faccat nesta quarta (11), deixando as dependências praticamente lotadas, como já havia ocorrido na noite de abertura. Oitenta músicos, entre professores e aprendizes, passaram pelo palco.

Entre o público, o clima foi de emoção coletiva diante de um belo espetáculo de som e luzes que contou com 17 músicas. O repertório foi do popular, com ‘Chega de Saudade’, considerada o marco-zero da bossa nova e belamente interpretada por Miguel Coelho (foto abaixo) ao hino hippie ‘With a Little Help From My Friends’, executada e interpretada na versão de Joe Cocker com Liziane Klein na voz.

Também houve espaço para o gospel, com ‘Atos 2’, cantada por Adílson Rodrigues (foto abaixo) e com o apoio de uma competente banda formada por músicos como o multi-instrumentista e produtor musical Thiago Heinrich, o baterista Otávio Rodrigues, o baixista André Rodrigues e o tecladista Álvaro Paz.

A geração pré 2020 também esteve bem representada. A jovem Valentina Ritzel (foto abaixo) interpretou ‘Ouvi Dizer’, do trio formado por irmãos de Niterói (RJ) Melim. Ao lado dela, os músicos Chico Paz no violão, Rafael Kunst no teclado, Pedro Comassetto na guitarra e o professor e idealizador do evento Álvaro Vicente no baixo.

LÁGRIMAS COLETIVAS

A noite ainda reservou um dos momentos mais emocionantes das duas décadas de Cordas Vivas. Cantando a belíssima versão de Elis Regina de ‘Romaria’, Carolina Winkler da Silva, de 11 anos, arrancou lágrimas do público e fez dos presentes seu próprio grupo de backing vocal. A menina, que é PcD, estuda canto há três anos com Álvaro.

— O trabalho em grupo é uma grande soma na vida dela. Todos a admiram pela postura profissional com que trata a música e a quem a rodeia. É uma garota muito dedicada e atenciosa com os colegas — revela o professor.

Durante a execução, um problema técnico cortou a voz de Carolina. Nesse exato momento, em uma reação espontânea e, sobretudo, com muita empatia, a plateia entoou a canção.

— A forma que o grupo e o público agiram pra proteger ela foi algo que nos deixou muito comovidos — recorda.

 

Todo o lucro deste ano será destinado integralmente ao Projeto Santa Cecília e à ONG Vida Breve.

GALERIA DE IMAGENS