Notícias do Vale do Paranhana.

O projeto Cinesolar, que leva um cinema itinerante em uma van movida a energia solar a cidades do país, vai passar pelo Vale do Paranhana neste fim de ano.

A maratona de sessões que começou em Farroupilha e irá passar por 32 cidades gaúchas vai terminar em Riozinho no dia 11 de dezembro. As exibições acontecem ao ar livre e são gratuitas.

O cinema é montado em lugares como praças públicas e quadras esportivas, principalmente em regiões mais carentes, como comunidades, aldeias indígenas e até em locais sem energia elétrica. A van é equipada com placas solares que têm autonomia de mais de 20 horas, conforme os organizadores.

São disponibilizados 100 assentos para o público, e o telão mede 200 polegadas. São exibidos curtas-metragens e, em algumas cidades, o longa “Fala sério, mãe!”, dirigido por Pedro Vasconcelos.

O filme conta a história de Ângela Cristina (Ingrid Guimarães), mãe da adolescente Maria de Lourdes (Larissa Manoela), que prefere ser chamada de Malu. As duas enfrentam uma das fases mais difíceis da vida, passando por um turbilhão de emoções.

— Nosso objetivo é, além de democratizar o acesso à produção audiovisual nacional, trabalhar com ações sustentáveis que multipliquem a conscientização ambiental e mostrem a força que a energia solar tem por aqui — diz Cynthia Alário, idealizadora do Cinesolar e diretora da Brazucah Produções.

O CINESOLAR

O projeto começou em 2013 e já realizou cerca de 670 sessões com a exibição de mais de 100 filmes, entre curtas-metragens (de temática socioambiental) e longas em 285 cidades do país. Conforme dados da organização, nesse período, foram economizados mais de 1.777,6 kW de energia elétrica, equivalentes a cerca de 5,1 mil horas de uma geladeira ligada sem interrupções.

O Cinesolar é realizado pela Lei Rouanet e tem patrocínio e apoios de de empresas de energia, além do Ministério da Cultura e governo federal.

Em cinco anos, já foram mais de 600 sessões, com a exibição de mais de 100 filmes Brasil afora