Notícias do Vale do Paranhana.

Taquara presenciou um fenômeno raro nesta sexta (12).

Uma câmera registrou a queda de um meteoro durante a madrugada. Responsável pelo registro mais marcante do fenômeno, que pôde ser visto rapidamente por quem estivesse olhando para o céu por volta das 3h20, o doutor em Engenharia Carlos Jung explicou em depoimento à Gaúcha ZH que meteoros caem com frequência sobre a Terra, mas que esse é de uma magnitude incomum.

— Não é normal fazermos um registro dessa proporção. Esse tipo de evento pode acontecer a qualquer hora do dia e da noite, em qualquer local, mas, com essa magnitude, é difícil de ver.

Com massa estimada em até 12 quilos quando entrou na atmosfera terrestre – a impressionantes 122 mil km/h –, o bólido se extinguiu a aproximadamente 36 mil quilômetros de altitude, aparentemente sem causar quaisquer danos.

BOLA DE FOGO NO CÉU

Jung é diretor científico da Brazilian Meteor Observation Network (Bramon), uma rede de colaboradores voluntários que se dedica a registrar fenômenos no céu brasileiro. Ele explica que a denominação de “bólido” significa que o meteoro entrou na atmosfera terrestre e explodiu – evento também conhecido popularmente como “bola de fogo”.

— Diariamente, a terra é bombardeada por meteoros, que entram aqui, são atraídos pela gravidade da Terra. É uma coisa comum. Durante o dia e a noite, não tem hora, nem lugar para acontecer. Mas não é normal a gente fazer um registro dessas proporções — explica.