Notícias do Vale do Paranhana.

A Câmara de Vereadores de Igrejinha anunciou que devolverá R$ 346 mil à Prefeitura. O valor será gerido pelo Executivo, que empregará o dinheiro na atualização do Hino a Igrejinha, na construção de uma sede de associação de moradores, melhorias no Centro de Eventos Prefeito Selson Flesch e no restauro da Casa de Pedra.

Em 2018, a mesa diretora do Legislativo igrejinhense foi composta pelo presidente Juliano Muller, o vice-presidente Neimar Parreira e o secretário Dirceu Linden Júnior. Muller explicou que, ao longo de todo o ano, o parlamento fez uma série de economias que tornaram possível devolver os mais de R$ 340 mil reais ao município.

OS VALORES INVESTIDOS

A Prefeitura se comprometeu em atender às sugestões de uso passadas pela Câmara:

– Atualização do ‘Hino a Igrejinha’, com regravação e mixagem, incluindo a participação de instrumentos sinfônicos sem alterar o arranjo original: R$ 8 mil

– Construção da sede da Associação de Moradores da Morada Verde. O prédio será edificado ao lado da Escola Infantil Almiro Grings. Atualmente a Associação atende junto à Unidade Básica de Saúde do bairro, que, a partir da próxima semana, receberá obras de expansão e melhoria, atendendo ao mesmo padrão das unidades de outros bairros, como a do XV de Novembro, inaugurada em dezembro: R$ 208 mil

– Melhorias no palco do Centro de Eventos. O espaço receberá completo acortinamento, tornando-se polivalente e apto a oferecer melhores condições técnicas a peças teatrais, musicais e outras atrações: R$ 40 mil

– Fundo de complemento ao projeto de revitalização da Casa de Pedra, construída em 1862 e um dos mais importantes prédios históricos do Vale do Paranhana: R$ 90 mil

“RESPEITO AO DINHEIRO PÚBLICO”

Segundo o prefeito Joel Wilhelm, é preciso destacar o compromisso de todos os vereadores em economizar, mostrando respeito ao dinheiro público.

— Por isso somos parceiros da Câmara, desde 2013, sempre investindo os recursos onde é solicitado — avalia.

Para o presidente do Legislativo, Juliano Muller, ao longo de todo o ano a Casa fez uma série de economias, deixando de aumentar o número de assessores ou pagar 13º salário aos vereadores.

— Igrejinha foi mantida como uma das cidades da região com o menor pagamento de proventos aos seus parlamentares, inclusive um dos poucos municípios do País onde os vereadores não recebem 13º salário nem pagamento de diárias. Acreditamos, assim, estarmos beneficiando indiretamente a comunidade por zelar por uma Câmara de Vereadores enxuta e econômica — atesta.