Notícias do Vale do Paranhana.

Conter a proliferação do mosquito da Dengue é uma das preocupações da municipalidade taquarense. Para isso, a Vigilância Ambiental do Município, através dos agentes de combate à endemias trabalham, diariamente, na visita às residências, esclarecendo dúvidas, distribuindo informativos e alertando aos cuidados necessários e eficazes para evitar a doença, segundo destaca Levi Metanoya, coordenador do Programa Saúde na Escola, onde um dos pilares é a questão da Dengue.

— Em Taquara, as equipes trabalham por bairro, fazendo vistorias em possíveis locais de foco, terrenos abandonados, orientando a comunidade com a distribuição de material informativo para evitar focos de qualquer espécie no Município. Caso não haja ninguém na residência, as informações são colocadas na caixa de correio ou na grade para que o morador tenha acesso — observa Metanoya.

Nesta segunda-feira, dia 18, os agentes de combate a endemias, visitam o bairro Mundo Novo, mas a ação já foi promovida nos bairros Santa Maria, Santa Teresinha, Recreio, e há previsão, nesta semana, de assistirem também os bairros Empresa e Cruzeiro. A equipe conta com uma médica veterinária, oito agentes comunitários de saúde e dois estagiários que se envolvem ativamente neste trabalho de divulgação das informações e visita às residências.

O secretário municipal de Saúde, Vanderlei Vili Petry, reitera, dizendo que o Município está ativo em todas áreas com o intuito de proteger a população no que se reporta à Saúde Pública.

— Embora à pandemia não podemos esquecer das outras ações que Taquara está empenhada como é o combate à proliferação da dengue. Continuamos trabalhando em prol da comunidade em todas as pontas e em todas as áreas — afirma o secretário.

O coordenador Levi Metanoya lembra que há cinco meses houve a detecção de larvas do mosquito em Taquara, mas as medidas foram tomadas e não há motivos para preocupação.

— Foi detectado no bairro Santa Teresinha, onde realizamos um zoneamento do local e tomamos as medidas cabíveis. Mesmo assim, quando tem um caso localizado, somente depois de um ano sem aparecer nada é que o Município é considerado isento, então Taquara é cidade com foco por este motivo. Faz cinco meses que na mesma região e em pontos estratégicos não houve nenhum caso, mas temos que aguardar um ano sem casos para considerar o município desinfestado — explica.

OS CAÇADORES DO MOSQUITO PERDIDO

O coordenador do Programa Saúde na Escola, Levi Metanoya, destaca que os alunos, neste período de quarentena, estão auxiliando no combate à dengue fiscalizando possíveis locais de foco em suas residências.

— Em parceria com a Secretaria de Educação que está promovendo o Game Educativo visando a reciclagem de resíduos como papel, plástico, metal e óleo de cozinha, criamos a gincana “Os Caçadores do Mosquito Perdido”. Assim, no momento em que os estudantes coletam resíduos recicláveis para levar nas escolas, também verificam nas suas casas ou em outros lugares, se há água parada ou algum tipo de foco do mosquito da dengue — menciona Metanoya.

VISITA DO COORDENADOR DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DA 1ª CRS

Em visita recente à Secretaria Municipal de Saúde de Taquara, o coordenador da Vigilância em Saúde da 1ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), José Wellington, orientou a equipe de como proceder em época de quarentena acerca das visitas promovidas pelos agentes de endemias às residências. Devido à pandemia, Wellington alertou para que os agentes não entrem nas residências neste período de isolamento e distanciamento social, mas que prestem as informações necessárias aos moradores para evitar a proliferação, não somente da Dengue, mas da Chikungunya e da Zika que são problemas reais e podem existir.