Aproveite o melhor da internet com a TCA. Assine agora: 51 3541.9100

Uma única busca no Google pode render milhões de resultados. Porém, esse material não passa de uma fração de todo o conteúdo online. Segundo estudiosos, é provável que apenas 4% da rede estejam indexados nas ferramentas de pesquisa. O resto faz parte de uma camada mais profunda: a Deep Web.

Só que muita gente associa esse conceito ao de Dark Web – o submundo da rede, cheio de comportamentos ilícitos. O assunto gera tanta curiosidade quanto desentendimento. Por isso, preparamos um guia para você entender melhor do que se trata. Acompanhe o post e tire suas dúvidas!

O que é Deep Web?

São todas as páginas que não estão na “superfície” da internet – ou seja, que não aparecem nas buscas do Google ou do Bing. É o que acontece com a maioria dos bancos de dados digitais. Suas informações bancárias, suas conversas via inbox do Facebook e o fórum daquele seu curso EAD fazem parte das “entranhas” da rede.

Dark Web é o mesmo que Deep Web?

Não. A Dark Web corresponde a uma parte da Deep Web que não é acessível pelos navegadores comuns. Para chegar até ela, é preciso utilizar browsers específicos, como o TOR. Essas ferramentas permitem uma navegação anônima, tornando mais difícil que o usuário seja rastreado.

Em outras palavras: quem está no lado obscuro da rede não quer ser encontrado pelos métodos tradicionais.

Como essa navegação anônima funciona?

Quando você visita um site tradicional, a rede entra em contato com um servidor, que envia de volta as informações para a visualização do conteúdo. Esse caminho é facilmente rastreável.

Na Dark Web, o comando passa por vários computadores codificados até chegar ao destino. Então, traçar o caminho inverso torna-se bem complicado. Por conta desse movimento todo, as páginas levam bastante tempo para carregar.

iceberg world wide web

A metáfora do iceberg ajuda a compreender o tamanho da internet

Os sites da Dark Web são similares aos sites comuns?

Não. As páginas costumam ser bem feias, na verdade. Isso porque não existe preocupação com layout ou acessibilidade. Tampouco há sistemas de busca como o Google. O máximo que você pode encontrar é um diretório com links para outros endereços – tudo em inglês, sem serviço de tradução automática.

Outro elemento de dificuldade são as próprias URLs, enormes e ilegíveis. Esses amontoados de letras e números servem para restringir ainda mais o acesso do público.

Quem utiliza a internet oculta?

Basicamente, qualquer pessoa que não queira ser encontrada. Com o resguardo do anonimato, cidadãos que vivem sob regime ditatorial podem comunicar-se sem medo de perseguição política. O mesmo vale para ativistas e jornalistas investigativos. Organizações como WikiLeaks, que denunciam casos de corrupção e espionagem no mundo todo, talvez não existissem sem esse mecanismo.

Então, a Dark Web não é tão ruim assim?

Mais ou menos. O lado sombrio da web também abre espaço para práticas ilegais. Esse território possibilita comércio de drogas, contrabando de armas, encomenda de documentos falsos, tráfico de pessoas e até contratação de matadores de aluguel. Sem contar os sites dedicados a pornografia infantil.

Investigadores do FBI e de outras agências mundiais infiltram-se nesses espaços. Eles se fazem passar por consumidores – ou vendedores – de material proibido, justamente para desbaratar quadrilhas e prender criminosos.

É seguro navegar pela Dark Web?

Não muito. Como não se sabe quem está do outro lado da máquina, a rede doméstica fica suscetível a toda sorte de ameaças. Alguns dos vírus e malwares mais poderosos circulam nesse ambiente anônimo.

Na dúvida, valem as recomendações de sempre: instalar um bom firewall, não fornecer senhas ou dados pessoais e, principalmente, evitar qualquer tipo de download suspeito. A questão é que, sem conhecer os desenvolvedores da página, como saber se os links são confiáveis?

TOR browser

TOR é o browser utilizado para acessar a Dark Web

A Dark Web é ilegal?

Depende. Como já explicamos, a rede incógnita facilita trabalhos ilícitos. E crime é sempre crime, mesmo que ocorra via internet. Embora navegar pela Dark Web não configure ilegalidade, tudo que você fizer por lá será por sua conta e risco.

Vale a pena arriscar?

Isso cada um decide por si. O uso do browser TOR pode render uma experiência interessante, especialmente numa época em que a privacidade dos dados suscita tantas discussões. Entretanto, adentrar terrenos desconhecidos abre brechas de segurança. Recomenda-se que apenas usuários experientes, com conhecimentos avançados de programação e TI, naveguem pela Dark Web.

Se o seu negócio é jogar online, assistir à Netflix ou ler notícias, melhor continuar com o Chrome ou o Firefox. A web da superfície disponibiliza inúmeras fontes de entretenimento. E, com a Fibra Ótica da TCA, você navega com velocidade e estabilidade incomparáveis. Conheça nossos planos e aproveite o melhor da internet.

Tirou suas dúvidas sobre Deep Web e Dark Web? Deixe um comentário!