Notícias do Vale do Paranhana.

O Presidente da CDL Parobé, Jones Vendruscolo, participou de um encontro entre presidentes cedelistas e diretores distritais para debater sobre o futuro do movimento lojista no Rio Grande do Sul. O evento, promovido pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), ocorreu na quinta-feira (10), em Novo Hamburgo.

Na ocasião, o presidente da entidade parobeense, e mais cem líderes da comunidade lojista do Estado, elaboraram uma carta estratégica de ações para os próximos anos, com objetivo de fortalecer a classe varejista e assegurar o seu desenvolvimento, além de manifestar seu posicionamento perante a atual situação econômica e política do Brasil.

Na carta, os líderes reprovam o modelo político e de gestão pública do país, a elevada carga fiscal e os juros exagerados. Além disso, condenam os diversos escândalos envolvendo corrupção de agentes públicos, autoridades e grandes empresas.

AS REIVINDICAÇÕES DO MOVIMENTO

Na elaboração de uma agenda, as prioridades do movimento são: insistir na preservação da ética no cenário político nacional e estadual, reivindicando o afastamento e punição dos envolvidos.

Elaboração de uma Reforma Fiscal, priorizando a revisão da Constituição Federal, especialmente no que se refere à vinculação de gastos com a receita e outras formas de engessamento orçamentário; elaboração de um sistema de auditoria fiscal, com a participação da sociedade civil; redução de carga fiscal; novo pacto federativo em favor dos municípios e maior rigidez no combate à corrupção.

Melhorias das condições estruturais de crédito; aumento de investimentos em segurança pública estadual; fomento a maior participação de parlamentares federais e regionais na concretização de pleitos regionais e melhora nas leis de incentivo à criação de empresas e empregos, também fazem parte das cobranças do movimento.

A CDL Parobé, ao lado da FCDL e CDL’s gaúchas, se comprometem na busca e implementação das agendas definidas. Para isso, declaram estado de mobilização permanente, visando o cumprimento das decisões.