Apresentação

Este blog é uma tentativa de traduzir o trabalho do pensamento em palavra escrita, com direito a falhas, equívocos e perdões.
Obrigado aos que tiveram o trabalho de dedicar sua atenção!

Perfil

Marcos Kayser é filósofo e empresário. Escreveu o livro O Paradoxo do Desejo, com prefácio de Márcia Tiburi, onde busca investigar a "mecânica do desejo nas relações de poder", e o livro Quando Tamanho não é documento, contando a história da gestão da TCA, empresa da qual é um dos fundadores e foi vencedora do Prêmio Nacional de Inovação. Idealizador do Scopi, software líder de mercado, que tem como objetivo ajudar as organizações a criarem a cultura do planejamento.

Conheça o Scopi
Obras do Autor
Buscar

Os maus tratos com Taquara

Não é de hoje que Taquara sofre de maus tratos. Não me refiro ao vandalismo comum de quem não tem educação e agride o patrimônio particular e público porque sabe que não haverá punição. Por falar em punição, é a falta dela que corrompe o país em todas as suas instâncias. Para mim e para muitos já estamos no caos há muito, apesar dos desfarces de quem governa, sempre pronto a afirmar que muito já foi feito e estamos em evolução. Sim, muito já foi feito, muito se deixou de fazer e muito foi desfeito. Estou me referindo de atos de descaso dos próprios cidadãos com bom nível de educação. Em Taquara, se tivermos um olhar um pouco mais exigente, comum de quem já experimentou o bom e o belo, como acontece num país sério,  veremos que pouco foi feito e muito deixamos de fazer. A cidade está feia e suja, se comparada, por exemplo, com o interior de nossas casas. A comunidade como um todo e administração municipal é culpada.  Não me levem a mal alguns amigos e conhecidos que se identificarão com casos de descaso para com a cidade que vou citar agora. Há construtores que ocupam praticamente toda a calçada em frente as suas obras, além de deixarem as mesmas calçadas praticamente intransitáveis. Há moradores que, quando fazem reformas, ocupam calçadas e parte da rua por meses, prejudicando a passagem dos pedestres, dos carros e enfeando a rua. Do mato então, nem se fala. Sei que desanima fazer bem feito se o outro deixa daquele jeito, mas isso não é digno de desculpa. Caberia à prefeitura fiscalizar, notificar os casos de irregularidade já que existe lei, apesar de não ser aplicada, e multar. Não sei porque não faz. Talvez porque ela própria não consegue cuidar da cidade e fazer os consertos que depende dela, como é o caso das ruas esburacadas. Já passaram pela Guilherme Lahn, entre a Pirisa e a Sociedade 5 de maio? Além de por em ordem a cidade, tornando-a limpa e embelezada, a prefeitura poderia recompor seu caixa se notificasse e, em caso de descumprimento, aplicasse multas. Uma indústria de multas pelo bem de Taquara teria apoio daqueles que amam de fato a cidade.​ Aplaudo ações de algumas pessoas que denunciam e agem contra os maus tratos com os animais. Por que não seguir o exemplo e agir também contra os maus tratos com Taquara? Vamos lá vereadores, representantes do povo, quem sabe vocês lideram o movimento do “Adote a frente da sua casa”, projeto indicado na Agenda Paranahana 2020, apresentado em 2009 à Câmara de Vereadores e, como muitos, deixado de lado. Marcos Kayser

Leave a Reply

Arquivos