Apresentação

Este blog é uma tentativa de traduzir o trabalho do pensamento em palavra escrita, com direito a falhas, equívocos e perdões.
Obrigado aos que tiveram o trabalho de dedicar sua atenção!

Perfil

Marcos Kayser é filósofo e empresário. Escreveu o livro O Paradoxo do Desejo, com prefácio de Márcia Tiburi, onde busca investigar a "mecânica do desejo nas relações de poder", e o livro Quando Tamanho não é documento, contando a história da gestão da TCA, empresa da qual é um dos fundadores e foi vencedora do Prêmio Nacional de Inovação. Idealizador do Scopi, software líder de mercado, que tem como objetivo ajudar as organizações a criarem a cultura do planejamento.

Conheça o Scopi
Obras do Autor
Buscar

Vereadores: por amor a pátria Taquara

Levantamento feito pelo ABC Domingo, jornal do Grupo Sinos, com dados do exercício de 2010, mostra Ivoti em primeiro lugar no ranking do percentual de gastos dos Legislativos de 52 cidades da abrangência do jornal. Três Coroas continua em 2º  lugar com 0,76% de gastos, com 2 funcionários e cada vereador ganha R$ 1.769,68. Igrejinha ocupa o 11º lugar com 1,36%, 9 funcionários e o vereador recebe um salário de R$ 1.845,01. Riozinho está no 23º lugar com 2,08%, 2 funcionários e o vereador recebe R$ 1.435,42. Em 2009, Riozinho estava na 39ª posição. Rolante está no 30º lugar, com 2,34% de gastos, 5 funcionários e o vereador recebe R$ 2.891,19. Rolante também melhorou com relação a 2009 onde estava na posição 37ª. Parobé está no 42º lugar com 2,95%, 37 funcionários e o vereador recebe R$ 3739,12. Parobé melhorou 4 posições no ranking, já que em 2009 estava na 46ª posição. Taquara na posição 46ª é o município do Paranhana na pior colocação, próximo de Araricá que é a última colocada na posição 53. O percentual de gastos do Legislativo taquarense é de 3,23%, 28 funcionários e o vereador ganha R$ 4.625,90. Taquara também foi o único município do Paranhana que piorou sua colocação. Em 2009 ocupava o 42º lugar.  A Câmara de Taquara gastou R$ 2.127.279,88 em 2010. Se o legislativo  taquarense gastasse o mesmo percentual de Montenegro, cuja população é muito similar, sobraria o equivalente a R$ 1.400.000,00 por ano para o Executivo investir em setores prioritários. Se a comparação for estabelecida com relação a Três Coroas, a economia seria ainda maior. Se Taquara não tivesse carência alguma e sobrassem recursos na Prefeitura, até que poderíamos ignorar os gastos da Câmara, mas não temos este privilégio. Diante da situação da Câmara de Taquara que está entre as que mais gastam e, ao mesmo tempo, diante da falta de recursos financeiros e das carências da cidade, não tem como ignorar, até porque todos de alguma forma são prejudicados. Por que fiscalizar e legislar, dever único do vereador, em Taquara custa tanto? Qual é o percentual que representa os gastos com pessoal e os gastos com os próprios vereadores? Se considerarmos só o salário dos vereadores, Taquara é um dos municípios cuja remuneração dos legisladores corresponde ao maior percentual do orçamento municipal. Será que nossos vereadores trabalham tão mais do que os outros? E se trabalham, não poderiam fazer pelo amor a pátria Taquara? Uma conclusão que se pode tirar é que o problema da cidade não está necessariamente na arrecadação, mas no gasto. Nas últimas eleições as urnas apontaram uma certa insatisfação e alguns legisladores não conseguiram a reeleição como esperavam. É bem provável que na próxima eleição este descontentamento aumente.  Por favor  vereadores, a cidade precisa de vocês, façam mais com menos, vamos economizar, vamos nos restringir a fiscalizar e legislar e vamos deixar de ser motivo de chacota para os que nos observam de fora. Contamos com vocês, afinal, vocês representam a nossa vontade e a nossa cidade!

Leave a Reply

Arquivos