Apresentação

Este blog é uma tentativa de traduzir o trabalho do pensamento em palavra escrita, com direito a falhas, equívocos e perdões.
Obrigado aos que tiveram o trabalho de dedicar sua atenção!

Perfil

Marcos Kayser é filósofo e empresário. Escreveu o livro O Paradoxo do Desejo, com prefácio de Márcia Tiburi, onde busca investigar a "mecânica do desejo nas relações de poder", e o livro Quando Tamanho não é documento, contando a história da gestão da TCA, empresa da qual é um dos fundadores e foi vencedora do Prêmio Nacional de Inovação. Idealizador do Scopi, software líder de mercado, que tem como objetivo ajudar as organizações a criarem a cultura do planejamento.

Conheça o Scopi
Obras do Autor
Buscar

Imprensa: poder de formar opiniões e mudar decisões

A imprensa e a mídia são conhecidas como o “quarto poder” pelo papel importante que possui na sociedade, não só na divulgação de notícias sobre eventos corriqueiros do dia a dia e das instituições, como também trazendo a tona fatos de hoje e de ontem até então escusos do meio social. A imprensa investigativa chega a se aproximar da atuação de uma polícia. Para tal haverá de ter muita coragem e correr os riscos de eventuais retaliações, porém, o resultado compensa. Assim foi o exemplo que tivemos em Novo Hamburgo, quando o Jornal NH colaborou decisivamente para a reversão da tendência de aumento do número de vereadores no município. Muitos vereadores que na primeira votação se posicionaram à favor do aumento chegaram a mudar de voto, levando à manutenção dos 14 parlamentares atuais, por unanimidade. Nos dias que antecederam a votação, o Jornal NH fez uma verdadeira campanha, deixando explícita a sua posição desfavorável ao aumento do número de vereadores. Apresentou justificativas bem fundamentadas e publicou a testemunho de pessoas da comunidade, representando a maioria contrária. Um manifesto com o nome de “opinião” foi capa do jornal que no dia da votação chegou a estampar na capa a foto dos vereadores que tinham sido favoráveis ao aumento na primeira votação. A atitude do jornal pode até ser questionada por aqueles que entendem que a imprensa deva ser imparcial. Mas a imparcialidade será o melhor caminho quando estamos diante de uma decisão que traz prejuízos evidentes à sociedade e que a maioria desta sociedade tem rejeição? O jornal NH deu uma demonstração que a imprensa pode e deve ser parcial quando sua parcialidade é transparente e, principalmente, coerente. O jornal NH demonstrou que a imprensa realmente tem poder e, na medida em que, exerce este poder com qualidade e a favor da ética e do bem comum, é nos dias de hoje um instrumento importante nos processos de transformação e evolução da sociedade. Parabéns Jornal NH pelos ensinamentos de uma imprensa que desnuda sua posição a favor da população.

Marcos Kayser

Filósofo e Empresário

Leave a Reply

Arquivos