Apresentação

Este blog é uma tentativa de traduzir o trabalho do pensamento em palavra escrita, com direito a falhas, equívocos e perdões.
Obrigado aos que tiveram o trabalho de dedicar sua atenção!

Perfil

Marcos Kayser é um dos sócios fundadores da TCA Informática que iniciou atividades em 1988. Idealizador do software Scopi. Bacharel, licenciado e mestre em Filosofia pela Unisinos. Tem curso de formação em gerenciamento de projetos. Presidiu a Câmara da Indústria, Comércio, Serviços e Agropecuária do Vale do Paranhana (CICS-VP). Preside o Comitê Regional do PGQP no Paranhana. Escreveu o livro O Paradoxo do Desejo, com prefácio de Márcia Tiburi, onde busca investigar a "mecânica do desejo nas relações de poder", e o livro Quando Tamanho não é documento, contando a história da gestão da TCA, vencedora do Prêmio Nacional de Inovação.

Obras do Autor
Buscar

Por que existe o mal?

Porque existe o mal é uma questão que intriga todos desde muito. Já foi inclusive motivo de debates ferrenhos que colocaram em cheque a existência de Deus. Sim porque se Deus é bom e quer o bem, o que é lógico, porque deixa que até crianças inocentes sejam vítimas do mal? E não adiantava dizer que o mal era o homem o responsável, pois logo vinha o contra argumento dizendo que a responsabilidade estava no criador da espécie humana, recaindo a responsabilidade do mal sobre Deus. “Se Deus existe, de onde vem o mal?”, perguntava Leibniz. Mas, gostaria aqui de levar a reflexão não para o viés religioso, mas filosófico. Se existe mal, e existe, o mal é antes de mais nada o que faz mal, aparecendo o sofrimento como o mal primeiro, e o pior. Mas para o mal existir, é preciso alguém ser o seu agente, há que haver quem faz o mal. Haverá outro a não ser o homem? Quando o gato come o rato e o cão come o pássaro, não costumamos dizer que o gato e o cão fizeram um mal, nem que o gato e o cão são egoístas. Na verdade, parece ser do senso comum que o animal não comete um mal. O que ele faz é movido por seu instinto animal, normalmente o instinto de sobrevivência, o que acaba por absolver toda a espécie animal de qualquer julgamento moral. Então não podemos dizer que o mal cometido pelo homem seja uma herança da evolução das espécies, pois nossos primatas animais não cometem o mal. Agora, porque quando o homem comete um ato violento, diferentemente dos animais, ele é considerado mal? È bem provável que um dos motivos para que o mal seja atributo da espécie humana porque o homem tem a consciência de seus atos, distintamente dos animais. Talvez o homem tenha expandido o instinto de sobrevivência, herdado dos animais (para quem acredita na teoria da evolução), para uma busca constante por poder, que culmina em lutas e disputas atrozes, cuja arma, muitas vezes é o mal. Mesmo que rima, mal não combina com animal, apesar de que, por força da linguagem, quando um homem ou uma mulher cometem um mal, costumamos dizer que aquele ou aquela é um animal. Mas, porque há tanta maldade no mundo? Simplesmente porque o homem é mal, não por ter uma natureza malvada, mas por seu egoísmo natural.

Marcos Kayser

Filósofo

Leave a Reply

Arquivos